Rondônia - 16 de novembro de 2018
Home / Notícias / Brasil / Edital de Inovação para a Indústria investiu mais de R$ 545 milhões em mil projetos inovadores

Edital de Inovação para a Indústria investiu mais de R$ 545 milhões em mil projetos inovadores

A inovação é um dos melhores caminhos para as empresas se diferenciarem dos concorrentes e conseguirem mais sucesso no mercado. O Edital de Inovação para a Indústria, um dos mais duradouros e estáveis instrumentos de fomento no Brasil, ajudou mais de 800 empresas a serem competitivas por meio de novos produtos e processos inovadores, desde que foi criado em 2004. Neste mês, o Edital atingiu a marca de mil projetos inovadores selecionados, nos quais foram investidos mais de R$ 545 milhões.

O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Serviço Social da Indústria (SESI). Além de fomento, as empresas selecionadas contam com apoio da infraestrutura da rede de 26 Institutos SENAI de Inovação e dos 58 Institutos SENAI de Tecnologia. O objetivo é estimular o desenvolvimento de soluções inovadoras para a indústria brasileira, sejam novos produtos, processos ou serviços de caráter inovador, incremental ou radical.

“A inovação é o principal fator de competitividade das empresas. Com a quarta revolução industrial acirram-se cada vez mais no mundo instrumentos de apoio à capacidade inovativa. O Sistema Indústria tem orgulho de ter uma das mais estáveis experiências de apoio à inovação, que é o Edital de Inovação para a Indústria. Certamente é uma enorme contribuição que o Sistema Indústria dá à capacidade inovativa do empresariado brasileiro”, avalia o diretor-geral do SENAI e diretor-superintendente do SESI, Rafael Lucchesi.

PEQUENAS – As startups, micro e pequenas empresas foram as que mais se beneficiaram do apoio oferecido pelo Edital de Inovação ao longo de sua história. Entre os mil projetos selecionados, 29% foram apresentados por microempresas; 26% por pequenas, 19% por startups; 15% por grandes companhias e 12% por médias. “O Edital comemora, desde 2004, excelentes resultados com ganhos de produtividade e competitividade para a pequena empresa”, avalia a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. “Do ponto de vista do Sebrae, a soma de esforços com o SESI e o SENAI foi fundamental porque trouxe a perspectiva de uma nova modalidade, em que a pequena empresa inovadora também passa a fazer parte do processo de criação na medida em que aceita um desafio tecnológico de uma média ou de uma grande empresa”, complementa.

Os segmentos industriais que mais tiveram projetos aprovados foram o Químico, com cerca de 130 projetos, e Alimentos e Bebidas, com 110 projetos, aproximadamente. Empresas na região Sul foram as que mais conseguiram o apoio do Edital: foram 126 propostas apresentadas por companhias do Rio Grande do Sul; 124 do Paraná e 109 de Santa Catarina.

Uma dessas empresas foi a Dublauto Gaúcha Indústria e Comércio de Componentes para Calçados, localizada em Campo Bom (RS), a 50km de Porto Alegre. A indústria, de 23 funcionários, obteve apoio do Edital em 2011 para desenvolver projeto de uso de óleos essenciais nanoencapsulados em palmilhas de calçados ocupacionais. A palmilha tem ação fitoterápica: combate a dor, é cicatrizante, antiinflamatória e hidratante. Mais de dez mil pares de calçados com o produto já são utilizados por profissionais como policiais e funcionários de restaurantes, que passam longos períodos de tempo em pé.

Evandro Wolfort, diretor e sócio da Dublauto, conta que o apoio do Edital foi essencial para o desenvolvimento da palmilha. “Se não tivéssemos o apoio do Edital de Inovação para desenvolver toda a metodologia, os ensaios e os testes, o custo para a empresa seria muito alto, provavelmente não teríamos feito esse novo produto”, explica. Entre 35% e 40% do faturamento da Dublauto provém hoje de produtos inovadores. A palmilha agradou o empresário Joanito Marques de Souza, diretor da Canadá EPI, empresa de Estância Velha (RS) que produz mensalmente 45 mil pares de calçados ocupacionais. “Essa palmilha deixa o meu calçado mais competitivo, mais bem aceito no mercado brasileiro”, diz ele, que também exporta para quatro países da América do Sul.

TEMPO REAL – Outro produto inovador fruto de projeto selecionado pelo Edital de Inovação foi apresentado pela empresa de eletrônicos Novus, localizada em Canoas (RS). O LogBox Connect BLE monitora, em tempo real, a temperatura de câmaras frias onde são armazenados ou transportados fármacos, vacinas, alimentos e hemoderivados. Com o equipamento, é possível, por exemplo, evitar que quedas prolongadas de temperatura comprometam a qualidade dos produtos. “A vantagem de ter a temperatura em tempo real é ter uma informação o mais cedo possível a tempo de agir para não perder o produto”, explica Marcos Dillenburg, diretor de Tecnologia da empresa de 180 funcionários, que possui seis mil clientes e exporta para 50 países.

O LogBox BLE já foi vendido em dez estados brasileiros e exportado para 23 países. Segundo ele, o apoio do Edital ajudou a complementar competências da sua equipe, que conta com 30 funcionários focados no desenvolvimento de produtos. “Por meio do Edital de Inovação, pudemos contar com pessoas a mais na equipe, com competências que eram complementares às nossas e com experiência em tecnologias que ainda não dominávamos”, conta ele.

O apoio do Edital de Inovação também foi fundamental para o desenvolvimento do esfoliante feito a partir de resíduos de goiaba produzido pela marca de cosméticos e higiene pessoal goiana Facinatus. A semente da fruta substitui o uso de polímeros, que são mais agressivos à pele e ao meio ambiente. “O esfoliante de goiaba foi um divisor de águas para nós, passamos a investir cada vez mais em uma linha de produtos naturais. Sem o Edital de Inovação não teríamos apoio financeiro nem para desenvolvimento do produto nem para nossos laboratórios”, explica Lúcio Delio, gerente-comercial da empresa de 73 funcionários localizada em Aparecida de Goiânia (GO).

A influenciadora digital Samara Lopes, de 28 anos, que tem um canal com dicas de beleza e costuma testar produtos, aprovou o esfoliante natural. “O produto tem propriedade antioxidante, que previne o envelhecimento, o que é muito bom para gente cuidar da pele. Além disso, é suave, deixa a pele macia, fora o cheiro, que é super gostoso”, elogia ela.

PRIMEIRA SELEÇÃO – Nessa segunda-feira (15), foram anunciados os 61 projetos escolhidos na primeira seleção de 2018 do Edital de Inovação após a análise de 549 ideias submetidas. Os estados que tiveram propostas selecionadas foram São Paulo (11 escolhidos), Pernambuco (9), Paraná (8), Minas Gerais (8), Santa Catarina (6), Rio Grande do Sul (4), Rio de Janeiro (7), Ceará (2), Amazonas (2), Espírito Santo (2), Mato Grosso do Sul (1) e Bahia (1).

Entre os projetos aprovados está o da empresa Polynano, que sugere o desenvolvimento de um produto chamado nanosolo, feito a partir de resíduos de polímeros misturados ao qualquer tipo de solo, e que servirá para pavimentação sem necessidade de asfaltamento. Outra ideia selecionada é a construção de uma plataforma de automatização da criação de livros digitais apresentada pela empresa Nextale na categoria dedicada à busca de projetos inovadores para área educacional. Já entre os projetos escolhidos nas categorias de saúde e segurança do trabalho está o da empresa Portobello, que propõe utilizar realidades virtual e aumentada para identificação e treinamento da postura.

Nesta edição, o Edital de Inovação para a Indústria vai investir R$ 55 milhões nas ideias propostas nas cinco categorias: Inovação Tecnológica para Grandes e Médias Empresas; Inovação Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas (MPE), Micro Empreendedor Individual (MEI) e Startups de Base Tecnológica; Empreendedorismo Industrial – Grandes empresas e Startups; Inovação em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) e Promoção da Saúde (PS) e Inovação Setorial em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) e Promoção da Saúde (PS).