Rondônia - 16 de novembro de 2018
Home / Notícias / Centro-Oeste / Mato Grosso / Cooperações técnicas da Secretaria de Segurança beneficiam 110 municípios

Cooperações técnicas da Secretaria de Segurança beneficiam 110 municípios

Desde 2015, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) firmou 226 convênios e termos de cooperação técnica, que atenderam 110 municípios mato-grossenses, três estados, órgãos como o Tribunal de Justiça, Ministério Público, Procuradoria Geral do Estado, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e instituições como a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Essas ações proporcionaram não só estrutura para os municípios, mas também combate ao crime organizado e prática de pesquisa científica.

Entre os municípios do estado beneficiados com as cooperações técnicas estão Cláudia, Aripuanã, Diamantino, Colniza e Santo Antônio de Leverger para a criação de brigadas municipais mistas com o Corpo de Bombeiros para prevenir e combater incêndios florestais. Na Capital, foram realizados cursos de capacitação para os agentes de trânsito, além da integração dos sistemas de monitoramento da Prefeitura com a Secretaria. Campo Novo do Parecis, Cuiabá e Paranatinga puderam utilizar o trabalho de policiais militares e civis de folga para reforçar a segurança.

Também foram atendidas as secretarias de segurança pública de estados vizinhos, como a de Rondônia, para ações integradas no combate à criminalidade, além de cessão do software do sistema de informações de inteligência, que é considerado modelo e foi solicitado por Goiás e Rondônia. Com Tocantins foi realizada parceria para a análise de DNA nos laboratórios da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Para a UFMT, o termo de cooperação, que irá até 2019, proporciona a utilização de cadáveres não reclamados na Diretoria Metropolitana de Medicina Legal para fins de ensino e pesquisa, assim como a utilização da estrutura para visitação de alunos e aulas de práticas forenses. E com a SRTE, o objetivo do trabalho conjunto foi a elaboração de projetos e execução de planos de trabalho para o combate ao trabalho escravo e para garantir os direitos da criança e do adolescente.

“Temos vários termos de cooperação, a exemplo do com PRF, para a utilização de torres de radiocomunicação, e com a Polícia Federal, para integrar os sistemas de inteligência. Sempre tivemos como política o trabalho integrado, seja com os municípios, outros órgãos, os estados vizinhos, o Governo Federal e as instituições, porque a união dessas forças tem o objetivo de, não só combater a criminalidade, mas também proporcionar educação e uma sociedade melhor para a população”, afirma o secretário da Sesp-MT, Gustavo Garcia.