Rondônia - 14 de novembro de 2018
Home / Notícias / Esportes / Vasco da Gama / Podendo ser excluído do Brasileiro por manifestação considerada política, Atlético-PR recebe apenas multa

Podendo ser excluído do Brasileiro por manifestação considerada política, Atlético-PR recebe apenas multa

O Atlético-PR recebeu multa de R$ 70 mil por ter entrado em campo, sem autorização da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), com uma camisa amarela e a frase “vamos todos juntos por amor ao Brasil”. A ação ocorreu um dia antes das eleições. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou o caso na tarde desta sexta, no Rio de Janeiro.

Segundo a denúncia da procuradoria do STJD, o clube “enviou oficio para a o Departamento de Competições da CBF às 16h21 solicitando autorização para realizar a ação, mas o artigo 98 do RGC/2018 destaca que as solicitações devem ser enviadas até dois dias úteis antes da partida”. A denúncia destacava ainda que, “menos de duas horas após a solicitação, o clube teve o pedido negado em reposta ao email”.

O advogado do Atlético-PR, Marcelo Mendes, culpou uma falha de comunicação. “Fiz questão de trazer toda a cadeia de e-mails para contextualizar. Foi feito pedido para a Federação que encaminhou para a CBF e respondeu direto à Federação. O retorno foi dado no fim do expediente. No dia da partida viram o retorno da Federação que acabou levando a erro o Atlético-PR”, justificou.

A Quinta Comissão Disciplinar do STJD decidiu de forma unânime pela multa de R$ 70 mil. Cabe recurso.

O Atlético-PR já tinha sido punido pelo STJD por outra campanha sem autorização. O goleiro Santos mexeu no celular antes do jogo contra o Atlético-MG, pelo Brasileirão. O objetivo seria conscientizar para o risco de usar o celular no trânsito. O goleiro pegou um jogo de suspensão, e o clube levou multa de R$ 50 mil.

Os jogadores do Atlético-PR entraram com a camisa amarela antes do jogo contra o América-MG, na Arena da Baixada, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. O zagueiro Paulo André usou uma jaqueta do clube por cima e não exibiu a camisa da campanha.

Paulo André já tinha se manifestado, através das redes sociais, pelo movimento “Ele não”, contrário ao candidato Jair Bolsonaro. Já o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-PR, Mario Celso Petraglia, tem defendido Bolsonaro na internet.

Fonte: GloboEsporte.com