Rondônia - 19 de novembro de 2018
Home / Notícias / Norte / Acre / Beneficiários destacam importância do Programa Lideranças da Floresta « Acre

Beneficiários destacam importância do Programa Lideranças da Floresta « Acre

Dar autonomia de gestão às lideranças comunitárias. Foi com esse intuito que o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) promoveu o Programa Lideranças da Floresta.

imagem08-11-2018-01-11-08

O workshop de encerramento reuniu todos em Rio Branco (Foto: Cedida)

Com a presença dos beneficiários, nesta terça-feira, 6, as instituições realizaram o workshop de encerramento do programa que qualificou 21 organizações comunitárias do Estado, que atuam com iniciativas de manejo florestal comunitário madeireiro e não madeireiro. A iniciativa teve início em janeiro de 2017.

“Seu Xuxa”, como é conhecido Cleomilton Rocha, liderança comunitário da Floresta Estadual do Gregório (Vale do Juruá), enfatizou a relevância da iniciativa na vida dos produtores. “Eles levaram mais conhecimento para nós, em especial, para a nossa juventude. Muitos jovens não entendiam o potencial da nossa floresta e hoje compreendem a necessidade de se preservar e produzir com sustentabilidade”, destacou.

O produtor, que também é presidente da Associação Agroextrativista São Francisco de Assis, frisou a necessidade de continuidade do programa. “Esse tipo de projeto precisa ter continuidade na próxima gestão, pois nós precisamos da floresta e muitos pensam que é derrubando a floresta que poderemos sobreviver melhor. Isso não é verdade. A floresta em pé gera emprego e renda nas comunidades acreanas”, afirmou Seu Xuxa.

Para o jovem extrativista de Xapuri Marenildo Moura, 20 anos, a experiência agregou novos conhecimentos. “Eu já tinha uma ideia sobre, agora estou consolidando meus conhecimentos, esclarecendo dúvidas e aprendendo coisas novas”.

Durante o evento, os participantes puderam compartilhar as experiências e os resultados obtidos ao longo do Programa Lideranças da Floresta. Com 87% de floresta nativa, o governo do Acre apostou na consolidação de uma política de desenvolvimento sustentável que gerou o aumento da economia acreana. O PIB (Produto Interno Bruto), por exemplo, saltou de R$ 1 bilhão para quase R$ 14 bilhões, durante os 20 anos de governo da Frente Popular.

Edegard de Deus, secretário de Meio Ambiente, explicou como a iniciativa deu autonomia aos comunitários. “Capacitamos as organizações comunitárias sobre toda a cadeia que envolve o manejo florestal, que vai desde a exploração da madeira até o final do processo, que é quando eles ganham dinheiro com a venda da madeira legal. Isso é muito importante, pois, antigamente, essas comunidades eram reféns das empresas. Terminamos esse programa muito feliz, pois contamos com participação grande dos jovens, ou seja, das futuras lideranças comunitárias do Acre”, ressaltou.

O Programa Lideranças da Floresta foi promovido por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (PDSA), fase dois, que tem como propósito fortalecer as organizações comunitárias em torno da produção florestal sustentável.

imagem08-11-2018-01-11-09

Os intercâmbios compuseram as atividades do Programa Lideranças da Floresta (Foto: Maria Meirelles/Secom)

Metodologia

O processo de formação foi estruturado em seis módulos com temas relacionados à organização social, a práticas produtivas, à gestão de negócio e comercialização da produção, complementadas com visitas de intercâmbio de experiência e assessoria técnica especializada, executados em 15 meses.

Toda a metodologia de intervenção foi elaborada com base na teoria e na prática do educador Paulo Freire, segundo as quais cada individuo é protagonista de seu aprendizado, de modo que a relação estabelecida entre educando e educador esteja alicerçada no aprendizado mútuo.

“Além das oficinas promovidas nas cinco regiões do Estado, promovemos intercâmbios no Projeto Reca e na Floresta Estadual do Antimary, em que os nossos beneficiários viram como funciona o processo de gestão na prática e a atividades de manejo florestal de impacto reduzido”, salientou a coordenadora do programa no Imaflora, Júnia Ruggiero.


thumb_up