Rondônia - 13 de dezembro de 2018
Home / Notícias / Esportes / Santos FC / O sonho da Libertadores não acabou!

O sonho da Libertadores não acabou!

Por: Odir Cunha

Após quatro derrotas consecutivas, pode parecer inacreditável que o Santos ainda tenha chances de se classificar para a Copa Libertadores de 2019, mas é a pura verdade. E a arrancada nesses três jogos finais pode começar na quarta-feira, às 21 horas, na sagrada Vila Belmiro, contra o Botafogo. Essa possibilidade será bem explicada mais abaixo…

Para começar, as estatísticas desse confronto são todas favoráveis ao Alvinegro Praiano. Na Vila Belmiro os times já se enfrentaram 36 vezes, com 18 vitórias do Santos, 10 empates e oito derrotas, 74 gols santistas e 46 botafoguenses.

Selecionados apenas os duelos pelo Campeonato Brasileiro, a liderança santista continua: em 61 jogos foram 22 vitórias, 19 empates e 20 derrotas, 81 gols marcados e 63 sofridos.

No geral, Santos e Botafogo já se enfrentaram 108 vezes, com 42 vitórias santistas, 29 empates e 37 derrotas, 183 gols do Santos e 154 do Botafogo.

Nesse confronto, Pelé é o maior artilheiro santista, com 13 gols, seguido por Dorval, com nove; Pepe, com oito, Coutinho, com sete. Bem, mas vamos ao caminho que levará o Santos à Libertadores, desde que, é claro, vença seus três jogos restantes, dois deles na Vila Belmiro.

Passo a passo

Veja, meu amigo e minha amiga fanáticos pelo Santos, que o Glorioso Alvinegro Praiano está em décimo lugar, com 46 pontos, atrás do Botafogo, com 47; Cruzeiro, com 49; Atlético Paranaense, com 50, e Atlético Mineiro, com 53.

Ocorre que o Cruzeiro já está na Copa Libertadores/2019, pois foi campeão da Copa do Brasil, enquanto o Atlético Paranaense está na semifinal da Copa Sul-americana (já venceu o jogo de ida, contra o Fluminense, em Curitiba, por 2 a 0).

Se o Atlético Paranaense for campeão da Sul-americana, também terá vaga garantida na Libertadores do ano que vem, o que fará com que a missão do Santos se restrinja a terminar a competição à frente de Atlético Mineiro e Botafogo. Vejamos como isso pode ocorrer…

Nessa quarta, enquanto o Santos terá de vencer o Botafogo, o Atlético Mineiro precisará perder para o Internacional, em Porto Alegre. Isso já elevará o Santos para 49 pontos, contra 47 do Botafogo e 53 do Atlético Mineiro, certo?

Na rodada seguinte, a penúltima do campeonato, no sábado, dia 24, às 20 horas, novamente na Vila Belmiro, o Santos enfrentará o Atlético Mineiro. Vencendo, irá para 52 pontos, apenas um a menos do que o rival. Na mesma rodada o Botafogo jogará em casa contra o Paraná e deverá ir para 50 pontos.

Finalmente, na última rodada, no domingo, 2 de dezembro, com todos os jogos às 17 horas, o Santos enfrentará o Sport, em Recife, em um duelo que pode ser decisivo para as duas equipes: uma, para se livrar do rebaixamento; outra para tentar ainda uma vaga na Libertadores. Jogo que separará homens de meninos, sem dúvida.

Na mesma rodada, o Atlético Mineiro receberá o Botafogo. Com uma vitória do Santos sobre o Sport e um empate ou vitória do Botafogo em Belo Horizonte, o Santos estaria na Libertadores (isso, claro, se o Atlético Paranaense vencer a Sul-americana ou terminar atrás do Santos na classificação geral do Brasileiro).

Bem, mas para que esse roteiro tenha um final feliz, não nos esqueçamos que primeiro será preciso vencer o alvinegro carioca nessa quarta-feira, às 21 horas, na Vila Belmiro. Mais uma vez o torcedor santista pode empurrar o time para uma arrancada surpreendente. Então, o que está esperando? Vá à Vila!

Primeiro e último

No primeiro confronto entre Santos e Botafogo, um amistoso em 14 de abril de 1918, na Vila Belmiro, dia em que o Alvinegro Praiano completava seis anos de existência, os cariocas tomaram uma lavada de 8 a 2, com três gols de Ary Patusca, dois de Adolpho Millon e um de Haroldo Domingues, Marba e Arnaldo Silveira. Para os cariocas marcaram Petiot e Menezes.

O Santos, treinado pelo técnico Juan Bertoni, jogou com Costa e Silva, Américo e Artur; Pereira, Jarbas e Ricardo; Adolpho Millon, Marba, Ary Patusca, Haroldo Domingues e Arnaldo Silveira.

O Botafogo atuou com Cazuza (Abreu), Americano e Osny; Franco, Adherbal e Pino; Léo, Petiot, Santinho, Menezes e Celso. O árbitro da partida foi Godinho Cerqueiro.

E o marcador ainda poderia ser maior, pois quando o Santos vencia por 6 a 1 o ponta-esquerda Arnaldo Silveira chutou propositalmente um pênalti para fora, sendo abraçado pelos agradecidos jogadores do Botafogo (a penalidade tinha sido duvidosa e o Santos já exercia os seus valores de ser um time técnico e disciplinado).

No último confronto entre os alvinegros na Vila Belmiro, em 30 de novembro de 2014, o Santos venceu por 2 a 0, com gols de Leandro Damião aos 3 e 44 minutos do segundo tempo.

Na oportunidade orientado por Enderson Moreira, o Santos jogou com  Aranha, Daniel Guedes, Edu Dracena, David Braz e Caju; Alison, Renato e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Diego Cardoso), Robinho (Leandro Damião) e Gabriel (Serginho).

O Botafogo, de Vagner Mancini, jogou com Jefferson, Régis, Dankler, André Bahia e Junior César; Airton, Gabriel, Andreazzi (Murilo) e Ronny (Gegê); Yuri Mamute e Bruno Corrêa (Maikon). A arbitragem foi de Dewson Fernando Freitas da Silva (PA), auxiliado por Bruno Boschilia (PR) e Marcio Gleidson Correia Dias (PA).

(Foto: Ivan Storti/Santos FC)