Rondônia - 18 de fevereiro de 2019
Home / Notícias / Colunas / Luca Moreira / Luca Moreira recebe o produtor BË em entrevista exclusiva

Luca Moreira recebe o produtor BË em entrevista exclusiva

Uma das maiores revelações do pop nacional, o cantor  prepara novidades para esse ano. Cotado como uma das grandes apostas do segmento, o artista, que vem fazendo um ótimo trabalho autoral. Além de um EP, estão previstos lançamentos de diversas parcerias.

As novidades chegam após um ano agitado. Em 2018 lançou uma de suas faixas favoritas, o sucesso cobertor, que chegou acompanhado de clipe inspirado no universo da série “Stranger Things”, da Netflix. O projeto trouxe um trabalho visual poucas vezes realizado no Brasil. No mesmo ano, chegaram às plataformas as faixas “Você Sabe” e “Suar”, lançada em dezembro.

Como foi o início de sua trajetória no meio musical? Sempre digo que minha trajetória musical nasceu comigo, desde pequeno minha mãe dizia que eu só gostava de ouvir música e ficar andando em círculos pela sala dançando, e então aos 6 entrei para o coral da escola e daí nunca mais sai das aulas de canto. De fato, me joguei no mercado musical, produzindo minhas próprias músicas apenas há dois anos, mas em 2014 eu já estava fazendo videoclipes covers da Rihanna, Selena Gomez, que inclusive estão no meu canal do Youtube.

Nesse ano, está sendo previsto o lançamento de um novo EP. Além de futuras parcerias, existem alguma coisa que você possa adiantar sobre esse projeto? Claro, o primeiro EP vai ser composto das minhas músicas já lançadas, mas com uma repaginada e ritmos diferentes, e claro uma inédita.

O que te inspirou a lançar o single “Cobertor” em 2018? Cobertor é de fato uma das minhas músicas favoritas, compus ela completamente sozinho, e o clipe é um dos meus maiores orgulhos até porque é meu primeiro trabalho visual como artista independente.

Ainda sobre “Cobertor”, o videoclipe da música foi inspirado na série “Stranger Things” da Netflix. De onde veio a ideia de seguir o estilo do seriado? Eu já era apaixonado pela série, mas acho que isso veio do fato de eu amar muito o The Weekend e perceber que o jogo de iluminação, e as vibes sombrias eram parecidas com stranger things, então criei uma música com influências do The Weekend, uma pegada trap mais sexy, e com o visual inspirado em Stranger Things, o que combinou.

Como foi o lançamento de “Você Sabe” e “Suar” em dezembro? Você Sabe teve um clipe lindo produzido por dois amigos meus, e é a primeira música que eu canto que não é composta por mim, e sim por uma amiga também. Já Suar, eu escrevi ela e eu me inspirei bastante em Sua Cara da Anitta, já que eu também participo do processo de produção da música.

Durante esse EP que está para lançar, foram pensados vários projetos antigos como “Camarote Particular”, sua música de estreia em 2017. Como está sendo fazer esse resgate do seu início? Uma surpresa muito grande vai acontecer com Camarote Particular, porque é uma música muito querida pelo meu público, é a mais famosa de fato e como foi a primeira não tínhamos condições de trabalhar ela bem no mercado, então aguardem que algo vai acontecer em breve no camarote.

De onde veio o seu amor pela composição, e quais são suas inspirações na hora de criar uma letra? Composição nunca foi minha praia, desde pequeno gostava muito de cantar as músicas que meus artistas faziam e cantavam, apenas quando entrei na adolescência de fato que comecei com pequenas composições em cima de músicas de artistas que eu gosto, o que me facilitou a compor. Quem me inspira para compor demais é com certeza meu ídolo suprema Taylor Swift, que sabe fazer um pop como ninguém e um Country que só Deus para salvar nossas lágrimas, ela me dá muita força para focar nos meus objetivos, porque tudo que ela faz é IMPECÁVEL.

Com o nome verdadeiro de Breno Al Odeh, como foi que o nome artístico BĒ surgiu? Minha mãe me chamava de Bê quando e eu era pequeno, e na verdade é um apelido que usam só pra Bernardo, mas eu adorava, e ela também e acabou que a família pegou e usou a minha infância e vida toda, então marcou muito e ouvir alguém me chamar de Bê me dá a sensação e o conforto de estar em casa.

Antes de se iniciar na carreira de cantor, você estava indeciso entre um curso de publicidade e seguir na música. Se arrepende de não ter feito a faculdade na época? A faculdade estou terminada agora, mas apenas porque era algo que eu já havia começado antes de querer de fato tomar a música como foco da minha vida, então no fim desse ano inclusive estou concluindo ela.