25.4 C
Ariquemes
domingo, 24 março 2019, 21:38

Ex-assessor de deputado reeleito em Rondônia é condenado a nove anos de cadeia por estuprar menina de 14 anos

A juíza de Direito Cláudia Mara da Silva Faleiros Fernandes, da 2ª Vara Criminal de Ariquemes, condenou Francisco D. M., um homem prestes a completar 71 anos de idade, a quase uma década de cadeia em regime inicial fechado por ter cometido, supostamente, o crime de estupro qualificado contra uma pré-adolescente.

A vítima da violência sexual praticada pelo agricultor tinha apenas 14 anos quando fora, de acordo com a denúncia apresenta pelo Ministério Público (MP/RO), estuprada pelo idoso.

A magistrada negou ao réu o direito de recorrer em liberdade porque, segundo ela, não fora localizado para ser citado pessoalmente, e, portando, somente após sua prisão “o processo prosseguiu”.

“[…] vislumbra-se que em liberdade evadirá do distrito de culpa e da aplicação da lei penal, razão pela qual entendo presente os requisitos da prisão preventiva, em especial a aplicação da lei penal e garantia da ordem pública”, pontuou. O Juízo deixou claro que mantê-lo preso visa assegurar a integridade física das vítimas e famílias, “pois se o réu praticava grave ameaça para ocultar sua lascívia quanto mais após a sua condenação”.

Condenado foi assessor de deputado reeleito

O sentenciado era assessor do deputado estadual reeleito Adelino Follador, do DEM, e chegou a concorrer ao cargo de vereador em Ariquemes no ano de 2016 pelo mesmo partido.

De acordo com a denúncia, o estupro aconteceu no dia 29 de março de 2018, ocasião em que ainda cumpria a função de assistente parlamentar. Ele foi exonerado no dia 17 de maio do mesmo ano, menos de dois meses após os fatos relatados pelo MP/RO.

Apoiador da campanha de 2014

Francisco D. M. aparece na lista de doadores de campanha de Adelino Follador nos dados fornecidos pela Justiça Eleitoral durante as eleições de 2014, contribuindo com R$ 17,8 mil. Ele também destinou outros R$ 5,2 mil à campanha de Moreira Mendes, já falecido, que à época concorria ao Senado.

Idoso usou nome do parlamentar para cometer o crime

De acordo com os autos, a vítima, ouvida em Juízo, contou que o acusado era amigo de sua avó e, por conta disso, sempre a visitava para tomar chimarrão com ela.

Fonte: Rondoniadinamica

Últimas notícias: