fbpx
22 C
Porto Velho
quarta-feira, 19 junho 2019, 07:13
Site de apostas
Site de apostas

No Distrito Federal, cientista vira empresária e inova no mercado

 Marcela Chiabai criou a Flyt em 2017 e hoje já produz 2 mil garrafas de Kombucha por mês




A capixaba Marcela Chiabai se mudou da pequena Itarana/ES para Brasília aos 13 anos. Sempre foi muito curiosa e estudiosa, mas não queria nem ouvir falar em ter o próprio negócio. Filha de agricultores e com vários tios comerciantes, ela pensava que empreender era muito difícil, pois acompanhava de perto a dura rotina da família. Mas, o espírito empreendedor (o DNA, segundo ela) falou mais alto. Hoje, aos 31, ela lidera a Flyt, que produz kombucha orgânica, em Águas Claras, região administrativa do Distrito Federal. Criada em dezembro de 2017, a empresa começou produzindo 70 garrafas da bebida. Em dezembro de 2018, já foram 2.000 garrafas – um crescimento de cerca de 3.000% em um ano. Ela é a primeira personagem, em 2019, da Expedição #AquiTemSebrae, que até o final do ano que vem, percorrerá todo o Brasil, mostrando histórias inspiradoras.

Movida pela curiosidade, Marcela se formou em Biologia e fez vários estágios, mas gostava mesmo de genética e biotecnologia, área em que fez Mestrado e Doutorado. Atuava como pesquisadora e professora, pois sempre gostou de repassar conhecimento. Para ela, a carreira acadêmica era o seu caminho. “Eu realmente gostava muito da área acadêmica. Meus pais e todos os meus tios têm negócios, como supermercados e lojas de materiais de construção. E eu achava que aquilo não era pra mim, porque eles trabalhavam muito e enfrentavam muitos problemas”, afirma.

Depois de uns dois anos como professora convidada na Universidade de Brasília, ela começou a fazer um pós-doutorado, com pesquisa em Biotecnologia. Foi quando viajou de férias para a Noruega e se encantou com a relação que as pessoas daquele país têm com a alimentação. “Como tudo lá é muito caro, nos hospedamos em casas de famílias. Em todas, nos chamou a atenção como os moradores preparam a própria comida. Cada casa tinha seu pão fermentado naturalmente e outras receitas, tendo a fermentação como base. Além disso, eles fazem o hidromel, que é o vinho de mel, muito saboroso”, conta ela, que voltou para o Brasil com muitas receitas e começou a pesquisar mais sobre os métodos de fermentação.

Kombucha ou kombuchá?

Ao estudar os processos de fermentação, ela se encantou com o tema, por conhecer os benefícios que os alimentos fermentados poderiam proporcionar. “No geral, a fermentação melhora a absorção dos nutrientes do alimento pelo organismo. Eles têm microorganismos que são probióticos, melhoram o funcionamento do intestino e, assim, podem ter efeitos benéficos para outros órgãos”, explica. Nas pesquisas, conheceu o kefir de leite e, finalmente, chegou à kombucha, bebida fermentada feita com chá, açúcar e microorganismos. Mas, afinal, é kombucha ou kombuchá? Ela diz que tanto faz, depende do `gosto do freguês`.

A empresária conta que a kombucha é feita a base de chá (verde, branco ou preto), açúcar e os microorganismos que fazem a fermentação. “Dizem que tem origem chinesa, mas não se tem comprovação disso. O que se sabe é que é uma bebida muito antiga, consumida em lugares como Rússia, Alemanha e Sibéria. Ficou esquecida por um tempo e agora está sendo redescoberta”, diz ela.

Marcela começou a produzir kombucha para atender, digamos assim, a uma necessidade doméstica. “Meu marido era viciado em refrigerante e aquilo me incomodava muito. Quando comecei a ler os artigos científicos sobre a kombucha, uma bebida gaseificada naturalmente e que poderia trazer benefícios ao organisamo, pensei que poderia ser uma boa substituta”. Ela conta que pegou uma receita na internet e que, as primeiras experiências foram horríveis, ninguém conseguia beber. “Aí, procurei pra comprar e as que eu encontrei no mercado eram tão ruins quanto a que eu tinha feito. Além de ser difícil encontrar”, lembra.

Negócio surgiu a partir da paixão

A partir destas primeiras experiências, ela continuou estudando a fermentação, para entender como podia produzir sua própria kombucha. Ficou cada vez mais apaixonada pelo assunto. E seguiu testando receitas. O estalo para abrir o negócio surgiu quando ela levou a bebida para o pessoal da universidade, para testar alguns sabores, e todo mundo adorou. Então, ela começou a procurar a legislação sanitária e buscar informações para abrir o negócio. “Eu tinha muito medo de sair do meio acadêmico, porque eu gostava muito e sabia que, quando a gente sai, é muito difícil voltar”.

Um passo decisivo na abertura da empresa veio em agosto de 2017, quando ela participou do Empretec, seminário com metodologia da ONU que busca desenvolver nos participantes as características do comportamento empreendedor. No Brasil, o Empretec é coordenado pelo Sebrae. “Eu gostei muito da experiência do Empretec. Pra mim, foi transformadora, pois me fez perceber que eu tinha várias características empreendedoras muito importantes, como foco, por exemplo”. Uma semana depois de participar do Empretec, ela abriu a empresa, em sociedade com o marido e a irmã. Além do seminário, Marcela também contou com o apoio do Sebrae para uma consultoria nas adequações do espaço físico e na obtenção da certificação orgânica para os produtos.

O galpão de 200 metros quadrados, onde funciona a empresa, foi alugado e reformado em tempo recorde. “Queria começar a produzir logo, mas tudo certo, de acordo com a legislação. Então, em dois meses, reformamos tudo e fizemos as adequações de acordo com as normas do Ministério da Agricultura e da Vigilância Sanitária”, relembra. Além destes dificuldades iniciais, de estruturação do negócio, ela conta que a gestão e o trabalho em equipe são seus principais desafios. “O trabalho acadêmico, de pesquisa, é muito solitário. Então, é um grande desafio trabalhar em equipe, desenvolver a comunicação da forma correta, pra evitar ruídos”, conta.

A Flyt produz a kombucha nos sabores gengibre com limão, maracujá e morango. A escolha dos sabores se dá a partir da disponibilidade dos insumos no Distrito Federal, uma prioridade para a Marcela. “Quero continuar comprando de produtores locais, visitando as propriedades, sabendo como as frutas são produzidas. Pra nós, isto é fundamental. Podemos produzir a kombucha de qualquer sabor, mas, com as frutas que têm sabor marcante, fica mais saborosa.” A empresária pensa em expandir os negócios e diversificar a produção, mas ainda está na fase de planejamento. “Um passo de cada vez, pra crescer com qualidade”, finaliza.

Uma jornada pelo Brasil

A Expedição #AquiTemSebrae, que começou em outubro de 2018, em comemoração aos 46 anos da instituição, percorreu, no ano passado, as cidades de Esperantina (PI), Olhos D`Água (GO), Cachoeira do Arari (PA), Campinas (SP) e Brusque (SC). Em diversos conteúdos, foram contadas histórias de perseverança e dedicação, que mostram como o empreendedorismo transforma vidas, famílias, comunidades e cidades inteiras. Até o final de 2020, a expedição percorrerá todos os Estados do Brasil. Depois do Distrito Federal, os próximos destinos são o Acre, Ceará e Espírito Santo.

O Sebrae e os pequenos negócios

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma entidade privada que promove a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte. Em 2018, a instituição completou 46 anos de atividades com foco no fortalecimento do empreendedorismo e na melhoria do ambiente de negócios para as micro e pequenas empresas, por meio de programas de capacitação e parcerias com os setores público e privado para promover acesso ao crédito, à inovação e a novos mercados.

Para saber mais sobre a Expedição #AquiTemSebrae e a história da Marcela, acesse a entrevista com a empresária.  

Assessoria de Imprensa Sebrae

Telefone (61) 3348-7570 / (61) 3348-7754

Últimas notícias: