fbpx
23 C
Porto Velho
sexta-feira, 19 julho 2019, 04:02
Governo de Rondônia
Site de apostas
Site de apostas

Iperon destaca a importância do trabalho da assistência social e homenageia servidoras, uma com mais de 30 anos de serviço

imagem15-05-2019-13-05-04No dia 15 de maio é comemorado nacionalmente o Dia da Assistente Social, profissão que busca a garantia da efetivação dos direitos sociais. O Iperon conta com três dessas profissionais que são de grande importância no processo de previdência. Uma delas com mais de 30 anos a serviço do Instituto.




De acordo com a assistente social Francisca Pinheiro, seu trabalho é lidar com os benefícios previdenciários, sendo esses pensão por morte, aposentadoria por invalidez, convivência marital e inclusão de dependentes em consonância com o setor jurídico do Instituto.

 

“Em qualquer local que o assistente social estiver inserido, o cumprimento da profissão é um desafio”, declara Francisca que exerce a profissão há 33 anos e a 30 no Iperon.

 

As assistentes do Iperon trabalham com a prestação de benefícios previstos em lei, um deles é a visita ao servidor inativo, que pode ser domiciliar ou hospitalar, e ocorre quando o segurado não tem condições de fazer a prova de vida, obrigatória no recadastramento.

Para a servidora Diacuí Salos,  é importante a presença da assistência social no Iperon  porque como se trata de servidores ativos e inativos, esse profissional proporciona um atendimento diferenciado, com orientações sociais, esclarecimento da situação que ele venha apresentar e do acompanhamento da situação que se fizer necessário.

Entre idas e vindas , Diacuí está no Iperon como assistente há 26 anos. “É sempre prazeroso trabalhar no Instituto e fazer parte de uma equipe parceira e comprometida com o trabalho, principalmente por ser um grupo muito bem estruturado”, declara.

Luciana Felizardo é a mais nova entre as assistentes do grupo, ela se formou em 2016 e completa em junho seu primeiro ano no Instituto. Para ela a importância da profissão é uma base confiável para que o procurador possa emitir o parecer final. “Ter vindo para o Iperon foi muito especial. É um ambiente que te faz estudar mais, essa parte judiciária, previdenciária exige um pouco mais do profissional, afirma Luciana.

Últimas notícias: