fbpx
32 C
Porto Velho
quarta-feira, 13 novembro 2019, 19:11
Site de apostas
Site de apostas
Site de apostas

Governo e pequenos produtores discutem ações para geração de trabalho e renda no MA – Maranhão

[bloqueador2]imagem23-05-2019-07-05-32

imagem23-05-2019-07-05-34Aconteceu nesta terça-feira (21), no auditório do Centro de Referência Estadual de Economia Solidária (Cresol), em São Luís, o Encontro Regional do Comitê Gestor de Acompanhamento e Monitoramento do projeto ‘Maranhão Mais Justo e Solidário’. Desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e Economia Solidária (Setres), o projeto tem o objetivo de organizar e fortalecer os pequenos produtores, com foco na geração de trabalho e renda, e combate à pobreza no Maranhão.

“Com este projeto promovemos o potencial do empreendedor, com base na diversidade de cada região do estado. Através dele, oferecemos a infraestrutura necessária para o desenvolvimento de pequenos produtores, como agricultores, quebradeiras de coco, artesãos, entre outros empreendimentos que estão no foco da gestão do governador Flávio Dino: valorizar quem mais precisa”, ressaltou Jowbweth Alves, secretário de Estado do Trabalho e da Economia Solidária.




Segundo a equipe técnica responsável pela execução das ações, o projeto está na fase de formação e capacitação com elaboração do plano de sustentabilidade para cada empreendimento atendido. Nos próximos passos, serão entregues equipamentos e materiais de insumo para os beneficiários das ações e realizadas feiras territoriais para potencializar a comercialização de seus produtos.

Durante o encontro da última terça-feira, a Setres fez um alinhamento sobre o andamento do projeto e desafios a serem superados nas próximas etapas. “Reunimos todas as instituições envolvidas para fazermos uma autocrítica no trabalho realizado até o momento. Com base nessa análise, faremos o aprimoramento das ações realizadas no projeto”, destacou Nilce Cardoso, secretária-adjunta de Economia Solidária.

O Comitê Gestor do projeto é composto por diversas instituições engajadas no fortalecimento da Economia Solidária no Maranhão. Além da equipe técnica da Setres, estavam presentes no encontro os representantes da Superintendência Regional do Trabalho, das secretarias de Estado da Agricultura Familiar (SAF) e da Mulher (Semu). Representando a voz da sociedade civil organizada, estavam a Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão, Associação das Mulheres Artesãs de Paço do Lumiar e Associação Agroecológica Tijupá.

“Maranhão Desenvolvido Mais Justo e Solidário”
Com o projeto, o Governo do Estado, através da Setres, está fazendo a inserção produtiva das populações que se encontram em situação de extrema pobreza no Maranhão. As ações são realizadas através do fortalecimento de pequenos empreendimentos com viés econômicos solidários em várias regiões do estado. Dessa forma, o Governo implementa ações estratégias de desenvolvimento da gestão, produção, comercialização e consumo nos empreendimentos, a partir das potencialidades econômicas de cada localidade.

Por meio da iniciativa, centenas de pessoas estão sendo beneficiadas com capacitação, assessoria técnica e consultoria para autogestão e formalização de seus empreendimentos. Os pequenos produtores recebem, ainda, materiais de insumo, equipamentos e qualificação para melhorar a qualidade de seus produtos, agregar valor e ampliar a produção. Outro benefício do projeto é o Centro de Referência Estadual de Economia Solidária (Cresol), que é um espaço de articulação e suporte nos processos formativos, e que também faz a comercialização da produção dos empreendimentos atendidos pelo projeto.

“As informações e instruções que nós recebemos dos técnicos do projeto, junto com o conhecimento que temos do cotidiano no campo, só veio a fortalecer o nosso trabalho. Tínhamos vontade de mostrar para o mundo o que produzimos, e o projeto Maranhão Mais Justo trouxe a oportunidade que esperávamos, além de aumentar a nossa renda”, afirmou Gracilene de Jesus, produtora de derivados do babaçu, da Associação das quebradeiras de Coco de Chapadinha.

O projeto que tem duração de 2 anos, contempla ainda, a articulação com outras políticas de crédito especial para os empreendimentos atendidos, além da formação de redes colaborativas que visem o fomento de políticas públicas estaduais e municipais para desenvolvimento do segmento no Maranhão.

Para expandir a política pública de trabalho e renda em todo estado, o projeto beneficia pequenos produtores em 50 municípios distribuídos nos territórios dos Lençóis Maranhenses e Munim; assim também como o Médio Mearim, Cerrado Sul, Amazônico, Baixo Parnaíba, Cocais, Vale do Itapecuru, Baixada Maranhense e Campos e Lagos e Região Metropolitana no Estado do Maranhão.

Comentários

Comentários

[/bloqueador2]

Últimas notícias: