Palestra sobre o autismo reúne educadores em Brasileia « Acre

[bloqueador2]

Palestra capacita sobre características, tratamentos e instruções para identificar transtorno psiconeurológico em crianças e jovens

O governo do Estado do Acre por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), por meio do Departamento de Justiça e Direitos Humanos, juntamente com a Divisão de Educação Especial da Secretária de Estado de Educação (SEE), realizaram no dia 24, pela terceira vez a palestra ‘Vamos Falar sobre o Autismo?’. O evento aconteceu na escola Kairala José Kairala, em Brasileia, onde professores, educadores e mediadores da Educação estadual e municipal, participaram.

Na oportunidade, o chefe do Departamento de Direitos Humanos, Sangelo Rossano, agradeceu ao governador, Gladson Cameli, e ao vice-governador, Major Rocha, pela sensibilidade para com a causa do autismo e das pessoas com deficiência.

“O trabalho iniciado junto à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP) hoje continua sendo desempenhado pela SEASDHM, com o apoio da secretária Claire Cameli, com uma atenção especial por parte da primeira-dama, Ana Paula Cameli, e a parceria do secretário Mauro Cruz, da SEE. É um trabalho de grande valia para todos os portadores do transtorno e para a comunidade escolar de um modo geral”, disse Sangelo Rossano.

WhatsApp Image 2019 06 24 at 14.47.25

Cerca de 90 educadores participaram da capacitação Foto: Cedida

O objetivo é apresentar as características e os diagnósticos sobre o autismo, no intuito de preparar os educadores para a inclusão de crianças e jovens que apresentam o transtorno.

Para a chefe da Divisão de Educação Especial, Shirley Lessa, é importante disseminar o conhecimento sobre o que é o autismo ou Transtornos do Espectro Autista (TEA), e, assim diminuir o preconceito e consequentemente gerar a inclusão.

“Esse evento vem garantir a inclusão do aluno com o transtorno, pois apresentamos adaptações razoáveis para garantir o acesso pleno ao currículo como incluir o aluno. Usar as estratégias corretas para a aprendizagem, tentando assim, eliminar as barreiras e criar um currículo melhor para todos os alunos”, explicou Shirley Lessa.

A Diretoria de Integração Social da Sejusp, o Corpo de Bombeiros e Família Azul do Acre auxiliaram no planejamento e logística do evento.

O evento também contou com a presença do médico Mazinho Maciel, estudioso do Transtorno do Espectro Autista no Acre e idealizador do Centro de Tratamento de Integração Social (Centrin), em Cruzeiro do Sul.


thumb_up

[/bloqueador2]