Em visita ao Museu Catavento, astronauta conta sua história | São Paulo

[bloqueador2]

Neste domingo (28), o Museu Catavento, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, recebe às 15h a astronauta da NASA Dra. Anna Fisher. A iniciativa é uma parceria com o Consulado dos Estados Unidos em São Paulo.

No mês de comemoração dos 50 anos da chegada do homem à Lua, como parte de sua agenda no Brasil, Dra. Anna Fisher visita o Catavento para contar sua trajetória e incentivar jovens a seguirem carreiras em ciências.

Médica especializada em emergência e também formada em Química, Anna participou do primeiro grupo de seis mulheres selecionadas para se tornarem astronautas da agência espacial norte-americana.

Ao longo de sua carreira, ela participou do programa do ônibus espacial, da Estação Espacial Internacional e da cápsula Orion, que está sendo desenvolvida pela NASA para lançamento espacial futuro. Dra. Fisher foi casada com o também astronauta Bill Fisher e é mãe de duas filhas. Em 1984, ela se tornou a primeira mãe a ir ao espaço.

A Dra. Fisher foi designada como representante da tripulação STS-5 até a STS-7 para apoiar testes integrados de transporte espacial e testes de carga útil no Kennedy Space Center da NASA. Atuou como especialista da missão Discovery STS-51A em 1984 e serviu na primeira missão de resgate espacial, recuperando dois satélites à terra. Com a conclusão do seu primeiro voo, Fisher acumulou 192 horas no espaço.

Escalada como especialista da missão STS-61H, antes do acidente com a Challenger, a Dra. Fisher trabalhou como suplente no departamento de Desenvolvimento da Missão do escritório dos Astronautas durante o intervalo do programa do ônibus espacial. De 1989 a 1995, ela tirou licença do escritório para se dedicar à família.

De 1996 a 2002, chefiou a fase inicial de construção da Estação Espacial Internacional (ISS). De janeiro de 2011 a agosto 2013, serviu como comunicadora com a cápsula (CAPCOM) no centro de controle da missão. Dra. Fisher também gerenciou o desenvolvimento de monitores para o veículo multiuso para tripulações Orion (MPCV). Em 2017, ela se aposentou da NASA, aos 67 anos.

Sobre o museu

O Museu Catavento foi inaugurado em março de 2009 e tem mais de 250 instalações divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade). Cada seção foi elaborada com iluminação e sons diferentes, que contribuem para criar atmosferas únicas e envolventes.

Atrações como borboletário, sala de realidade virtual Dinos do Brasil, simuladores, aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escaladas, onde é possível ouvir histórias de personalidades da história, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo.

Na área externa também é possível conferir equipamentos como a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

Fonte: www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/em-visita-ao-museu-catavento-astronauta-conta-sua-historia

[/bloqueador2]