fbpx
23 C
Porto Velho
quarta-feira, 29 janeiro 2020, 06:36
Site de apostas
Site de apostas
Site de apostas

Otites: como identificar e prevenir

Ah, o verão! No período mais quente do ano, a boa pedida é aproveitar uma piscina ou uma praia sem muitas preocupações.

Mas às vezes tudo pode se complicar se aparecer aquela dorzinha chata nos ouvidos. Em alguns casos, a combinação de água, umidade e calor pode contribuir para ocorrência da otite externa, um tipo de infecção no ouvido que chega a ter sua ocorrência duplicada nessa época do ano.

Neste artigo, vamos entender quais são os tipos de otite, como devem ser tratados e quais os riscos para quem não faz o tratamento adequado com um otorrinolaringologista.

Otite externa

É o tipo mais comum e acomete tanto crianças como adultos. É uma infecção que pode ocorrer quando água se acumula no ouvido, comum após mergulhos na piscina ou no mar.

Essa infecção pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos e atinge um espaço entre o canal do ouvido externo e a membrana do tímpano.

Os sintomas mais comuns são: dor, coceira, sensação de entupimento, diminuição da audição e secreções.

Algumas pessoas possuem ouvidos mais sensíveis e maior predisposição para infecções nesta região. Nestes casos, é aconselhável tomar cuidados preventivos ao nadar, como usar tampão de silicone ou algodão com óleo de amêndoas para fechar o canal auricular e evitar o acúmulo de água nos ouvidos.

Outra dica é, após o mergulho, balançar a cabeça levemente para o lado para escorrer o excesso de água e depois secar os ouvidos superficialmente com uma toalha limpa.

Outra causa recorrente da otite externa é o uso indevido de hastes de algodão ou o hábito de cutucar o ouvido com outros objetos para a retirada de cera.

Pessoas que têm produção de cera excessiva devem procurar um otorrinolaringologista com frequência para fazer uma limpeza adequada, sem risco de infecções.

Em caso de qualquer dor nos ouvidos, a indicação é procurar um médico especializado para o tratamento correto. Soluções caseiras podem agravar o problema e ocasionar danos mais sérios no canal auditivo.

Otite média aguda

Diferente da otite externa, esse tipo de infecção no ouvido é mais recorrente no inverno, em decorrência de gripes e sinusites.

O ouvido médio se comunica com o nariz por meio de uma cavidade chamada tuba auditiva. A infecção se dá neste canal quando a secreção do nariz sobe ao ouvido médio por meio desta cavidade.

Os sintomas são parecidos com os da otite externa e o atendimento de um otorrinolaringologista é imprescindível para diagnóstico e tratamento seguros.

Otite interna (labirintite)

Esse é o tipo mais grave de otite, pois o ouvido interno é a parte mais complexa e profunda do órgão auditivo. É a área responsável pela audição e o equilíbrio do corpo.

Os sintomas são tonturas intensas e diminuição da audição de forma mais severa. Infecções nessa região requerem cuidados mais especiais, podendo ser indicada internação hospitalar em alguns casos.

Quando buscar ajuda de um otorrinolaringologista

Qualquer dor ou incômodo no ouvido que persistir por mais de um dia deve ser investigada por um médico especialista.

O otorrinolaringologista fará o diagnóstico por meio do histórico de saúde do paciente, um exame físico e um exame auditivo.

Infecções não tratadas de forma correta podem causar sequelas graves, como perda parcial ou total da audição. Em casos de infecções bacterianas o tratamento é feito com antibióticos.

Quando a otite é recorrente, o médico pode avaliar a necessidade de um tratamento mais longo para prevenir futuras infecções.

Últimas notícias: