fbpx
26 C
Porto Velho
segunda-feira, 06 abril 2020, 00:28
Site de apostas
Site de apostas
Site de apostas

O que o Coronavírus tem a ver com a Anemia? Médico Nutrólogo  Alexander Gomes de Azevedo  explica

O que o Coronavírus tem a ver com a Anemia?

Atualmente, o mundo está passando por um sério problema de saúde pública, a pandemia provocada pelo novo coronavírus, o COVID-19.

Esse vírus, cujo os sintomas se assemelham a uma gripe, está se espalhando rapidamente e provocando milhares de mortes, principalmente em populações mais vulneráveis como é o caso dos idosos e as crianças mais novas.

Para que esse vírus não cause danos importantes para nossa saúde, é importante que nosso sistema imunológico esteja funcionando bem, o que não ocorre em pessoas com anemia, que ficam mais expostas e vulneráveis a agressividade desse vírus.

Ao contrário do que muita gente imagina, o coronavírus não é algo novo. A maioria das pessoas se contamina com algum dos coronavírus comuns ao longo da vida, sendo que as crianças pequenas estão mais propensas a se infectarem. O COVID-19 é uma nova variação deste vírus.

Em geral, os coronavírus causam infecções respiratórias de leves a moderadas, e de curta duração. Coriza, tosse, dor de garganta e febre são alguns dos sintomas mais comuns, porém, algumas vezes podem causar infecção das vias respiratórias inferiores, como pneumonia e bronquite.

Algumas variações deste vírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS (da síndrome em inglês “Severe Acute Respiratory Syndrome”) e o atual COVID-19 que tem se espalhado muito rapidamente causando milhares de mortes.

Esse quadro mais grave da doença pode ocorrer em pessoas com doenças cárdio-pulmonares, idosos e também em adultos e crianças com sistema imunológico comprometido pela anemia.

CRIANÇAS COM ANEMIA TEM MAIOR RISCO DE CONTRAIR VÍRUS

O ferro tem muitas funções importantes no corpo, incluindo a regulação do sistema imunológico e a deficiência deste mineral pode comprometer a função imunológica causando impacto tanto na facilidade em contrair doenças como na gravidade dessas infecções.

Um estudo americano sobre a mortalidade infantil por influenza (vírus da gripe) indicou que a maioria das mortes atribuídas ao vírus, ocorre em menores de 5 anos. Nessa idade, as crianças têm maior facilidade em se infectar e correm o risco de contrair doenças mais graves.

Em outro estudo Australiano de 2016, pesquisadores concluíram que  a anemia por deficiência de ferro foi um importante preditor de agravamento da doença, principalmente na faixa etária abaixo de 2 anos. Essas crianças tinham quase cinco vezes mais chances de serem admitidas em hospitais para cuidados de alto nível, pela gravidade da doença. Além disso, a anemia foi identificada como um fator de risco para insuficiência respiratória em crianças internadas no hospital por pneumonia adquirida na comunidade.

Já um estudo recente, publicado em 2020, demonstrou que a composição do sistema imunológico das crianças varia de acordo com a idade, localização geográfica e condição de anemia.

Portanto, é importantíssimo corrigir a anemia em crianças, principalmente as menores de 5 anos de idade, para melhorar o sistema imunológico e reduzir o risco de adquirir doenças infectocontagiosas como é o caso do novo coronavírus, o COVID-19.

coronavírus

COMO EVITAR A ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE FERRO

Veja abaixo algumas das principais fontes de ferro na alimentação.

  • Carne vermelha e vísceras (fígado);
  • Vegetais verde-escuros (ex: brócolis, couve, espinafre)
  • Algas marinhas;
  • Legumes
  • Feijão, grão-de-bico, ervilha e lentilha
  • Cereais integrais (ex: aveia e quinoa)
  • Sementes (gergelim e abóbora)
  • Frutas (ex: damascos secos, uva passa)

Importante!

O ferro de fontes vegetais são menos absorvidos que os de fonte animal, por isso, para aumentar a absorção do ferro dos vegetais é necessário incluir suco de limão e frutas cítricas (ex: laranja, goiaba, tomate) além de evitar consumir alimentos ricos em cálcio, café e chás na mesma refeição com ferro, pois eles prejudicam sua absorção.

Uma alimentação correta, rica em nutrientes é a melhor maneira de repormos a quantidade de ferro para nossas crianças. Porém sabemos que isso é muito difícil de conseguir, principalmente em comunidades mais carentes. Então, a forma mais simples de aumentar a hemoglobina é através da suplementação de ferro para crianças. A suplementação diária ou semanal são igualmente eficazes para aumentar a hemoglobina.

ENTÃO QUAL O MELHOR SUPLEMENTO DE FERRO PARA AS CRIANÇAS?

Na minha opinião, sem dúvida é o Ferro de alta absorção pelo organismo, como por exemplo o ferro nanoencapsulado, associado a outros micronutrientes (minerais e vitaminas). Esse tem maior absorção, não provoca efeitos colaterais e não tem gosto ruim, diferente do ferro comum encontrado nas farmácias, que além de não serem bem absorvidos, tem sabor ruim e podem provocar efeitos colaterais.

Foi baseado em pesquisas científicas sérias o motivo pelo qual sugeri no meu pós-doutorado (que virou um capítulo do livro do Dr. Secchi M, 2019) o uso anual de 60 a 120 doses (2 a 3 vezes por semana) do ferro nanoencapsulado associado a outros micronutrientes para prevenir a anemia em nossas crianças.

A deficiência de ferro ou a anemia por deficiência de ferro pode trazer vários problemas para as crianças, como em seu desenvolvimento físico e intelectual e na sua imunidade, deixando-as mais vulneráveis a contaminações por vírus.

anemia ainda é um problema muito sério e negligenciado no nosso país, e que pode ser resolvido rapidamente através de a suplementação preventiva de multimicronutrientes com nanotecnologia, que são melhor absorvidos pelo organismo, e com o estímulo a uma alimentação mais saudável, rica em frutas e verduras orgânicas (sem agrotóxicos), carnes magras e alimentos integrais.

A saúde dos filhos depende diretamente da atitude dos pais.

ATENÇÃO!

Não existe nenhuma evidência científica que infusões de soros com vitaminas, minerais, aminoácidos e outros nutrientes tenha efeito preventivo contra o novo coronavírus.

Como a correção do ferro e da anemia por deficiência de ferro pode demorar de algumas semanas a 3 meses, é muito importante nesse momento de pandemia seguirmos corretamente as orientações para evitar o contágio.

  • Lavar bem as mãos;
  • Evitar aglomerações;
  • Evitar abraços e apertos de mãos;
  • Manter a distância mínima de 1 metro das outras pessoas;
  • Ao tossir ou espirrar use lenços descartáveis ou antebraço.

Referencias Bibliográficas:

Ekiz C, Agaoglu L, Karakas Z, Gurel N, Yalcin I. The effect of iron deficiency anemia on the function of the immune system. Hematol J. 2005;5:579–583.

Oppenheimer SJ. Iron and Its Relation to Immunity and Infectious Disease. J Nutr. 2001;131:616S–635S.
Cromer D, van Hoek AJ, Jit M, Edmunds WJ, Fleming D, Miller E. The burden of influenza in England by age and clinical risk group: a statistical analysis to inform vaccine policy. J Infect. 2014;68:363–371.

Bhat N, Wright JG, Broder KR, et al. Influenza‐associated deaths among children in the United States, 2003‐2004. N Engl J Med. 2005;353:2559–2567.

Lakhan, N., Clarke, M., Mathew, S. M., & Marshall, H. (2016). Retrospective review of factors associated with severe hospitalised community-acquired influenza in a tertiary paediatric hospital in South Australia. Influenza and other respiratory viruses, 10(6), 479–485. https://doi.org/10.1111/irv.12403

Hill DL, Carr EJ, Rutishauser T, Moncunill G, Campo JJ, Innocentin S, Mpina M, Nhabomba A, Tumbo A, Jairoce C, Moll HA, van Zelm MC, Dobaño C, Daubenberger C, Linterman MA. Immune system development varies according to age, location, and anemia in African children.  Sci Transl Med. 2020 Feb 5;12(529). pii: eaaw9522. doi: 10.1126/scitranslmed.aaw9522.

Nogueira Arcanjo FP, Santos PR, Costa Arcanjo CP, Meira Magalhães SM, Madeiro Leite AJ. Daily and Weekly Iron Supplementations are Effective in Increasing Hemoglobin and Reducing Anemia in Infants. J Trop Pediatr. 2013 Jun; 59(3):175-9. Epub 2012 Dec 13.https://www.youtube.com/watch?v=yQ9oHjjkRvM&feature=youtu.be

Últimas notícias: